Se há coisa que acalma uma criança na idade dos porquês é uma boa enciclopédia ilustrada. Falar em acalmar é relativo, claro, mas há dias em que conseguir meia hora de sossego é uma pequena grande vitória. Estas páginas têm esse condão mágico. As ilustrações são apetitosas (as minhas preferidas são as do François Foyard, no capítulo “História”) e os textos simples, sem serem simplórios, adequados a miúdos de quatro anos para cima. Das maravilhas do corpo humano à imensidão do universo, podem aprender um poucochinho de tudo e sentir que já sabem muito de muito.

A minha pequena grande enciclopédia
Vários autores
Editorial Presença
14,85€

in Liv, 22 Fevereiro 2014

A próxima vez que cortar o cabelo curtinho, vou obviamente começar por amuar como a Vera. Depois vou lembrar-me desta história, secar as lágrimas por já não ter uns longos cabelos de fazer inveja a qualquer modelo dos pré-rafaelitas e começar a ver o que se passa à minha volta. E que coisas fantásticas podem acontecer enquanto o cabelo cresce um dedo, dois dedos, três dedos, se estivermos com atenção. O texto de Isabel Minhós Martins é como os que já nos habituámos a ler dela, cinco estrelas, ou não tivesse sido aconselhado pelo Plano Nacional de Leitura. É bem verdade que não é uma novidade editorial fresquinha, mas será que os leitores de metro e meio se importam com isso?

Enquanto o meu cabelo crescia
Isabel Minhós Martins
Madalena Matoso
Planeta Tangerina
13,90€

in Liv, 22 Fevereiro 2014

O Meu Avô, de Catarina Sobral (book trailer)

Há 5 meses - 2

Com o advento do Facebook, que nos permite seguir de perto os nossos ilustradores preferidos e espreitar o que andam a fazer, já há algum tempo que sabíamos que o novo livro da Catarina Sobral (autora de “Greve” e “Achimpa”) vinha a caminho. Esta semana o carteiro trouxe-nos “O Meu Avô”, que é tudo aquilo que esperávamos. Um mimo. Em primeiro lugar, não é mais do mesmo – às vezes temos uma paixão assolapada por um ilustrador, mas quando concluímos que a linguagem é sempre a mesma, acabamos por trocá-lo por outro. “O Meu Avô” tem uma identidade própria e não se limita a ser uma continuação do bem-amado “Achimpa”, provavelmente o meu livro ilustrado preferido de 2013. Em segundo, a história é boa de ler e traz referências a uma série de heróis da vida real – Fernando Pessoa, Almada Negreiros, Édouard Manet, Jacques Tati –, abrindo uma oportunidade para falarmos deles aos mais pequenos. Remata-se este texto dizendo que Catarina Sobral é a única ilustradora portuguesa que garantiu lugar na exposição de ilustração da Feira do Livro Infantil de Bolonha deste ano, graças a cinco imagens de “O Meu Avô”. Se isto não é prenúncio de mais uma mão-cheia de prémios a caminho, não sei o que será… deste ano, graças a cinco imagens de “O meu avô”. Se isto não é prenúncio de mais uma mão ceia de prémios a caminho, não sei o que será…

O meu avô
Catarina Sobral
Orfeu Negro
12€

in Liv, 22 Fevereiro 2014

Tomi Ungerer

Há 5 meses - 2

É possível não amar um homem que desenhou uma escola em forma de gato? Tomi Ungerer, o homem a quem chamar génio multifacetado é pouco, fê-lo e ela existe em Wolfartsweir, Alemanha. É ir ao Google e deliciar-se. Nascido em 1931, o francês tem hoje 82 anos e uma obra invejável. “Adelaide”, o canguru que nasceu com asas, foi escrito em 1959, mas podia ter sido ontem. A qualidade da ilustração e do texto fazem-nos acreditar que Ungerer tem razão quando diz que “a simbiose ideal, o maior luxo do mundo, é ser-se capaz de escrever e desenhar um livro” e, sem falsas modéstias, defende que as maiores obras de literatura infantil são escritas e desenhadas por um só autor. Para se perceber a riqueza dos seus livros, nada melhor que as suas próprias palavras: “Para uma criança, nunca uses palavras como ‘árvore’ ou ‘pássaro’ ou ‘flor’. Diz antes, isto é uma margarida, uma miosótis. E mais tarde não dirás que aquilo é uma pedra, dirás granito, xisto… Todas as palavras são um poema e parte de um possível poema.”

Adelaide
Tomi Ungerer
Kalandraka
14€

Há livros infantis no Liv deste fim-de-semana
22 Fevereiro 2014

Há livros infantis no Liv deste fim-de-semana

22 Fevereiro 2014

Este era um livro que não era um jardim zoológico, mas guardava mais de cem histórias de mais de cem animais. Este era mais um trabalho da dupla fenomenal Pinto & Chinto, pais do careca Nicomedes (lembram-se?). Este era um livro que nunca começava as histórias por “Era uma vez”, preferia o “Este era”. Obrigatório ler? Este era.

Minimalário 
Pinto & Chinto 
Kalandraka 
13€ 

in Liv, jornal i, 14 de Dezembro 2013

Anthony Browne tem um traço inconfundível. Há um certo surrealismo escondido no realismo fotográfico do seus desenhos que não sei explicar. Um dia, disse numa entrevista que gostava de deixar um branco, uma lacuna entre as palavras e as imagens para ser preenchida pela imaginação do leitor. Missão cumprida com este “Passeio pelo Parque”. 

Um passeio pelo parque 
Anthony Browne 
Kalandraka 
14€

in Liv, jornal i, 14 de Dezembro 2013

Mariana Rio, “The Little Woman Who Counted Sneezes” 

...